Blog do MX Cursos

A importância da tipografia para o Design Gráfico

A importância da tipografia para o Design Gráfico

Afinal, as opções são tantas que costumam até ser motivo de discussões acaloradas entre os profissionais da área de criação. E não é à toa: a escolha da fonte ideal para cada trabalho é fundamental e não pode ser encarada como algo secundário.

Cada projeto é elaborado a partir de um conceito, e a fonte eleita deve estar de acordo com ele. Em outras palavras, todo o conjunto do projeto precisa interagir harmonicamente, o que inclui o uso certo da fonte tipográfica.

Mas, ao contrário do que muitos pensam, o design de tipos é uma especialidade. E, nesse sentido, é importante que profissionais e leigos passem a rever sua postura e entender que esse ramo do design é indispensável.

A evolução da Tipografia

O processo para a criação de um tipo é minucioso e milimétrico, em que as fontes são desenhadas uma a uma. Um verdadeiro trabalho de “formiguinha”, do qual poucos entendem o valor — talvez por estarem habituados ao acesso fácil e uso corriqueiro.

Nesse sentido, a arte nem sempre foi descomplicada e, muito menos, acessível a todos. No entanto, com a chegada da computação gráfica aos lares e escritórios, o uso da tipografia realmente se popularizou.

Todos agora podem se servir das mais variadas fontes, compondo textos e layouts do jeito que bem entenderem. E essa abundância de fontes disponíveis aos designers e aos leigos é incalculável, se contarmos tanto os trabalhos altamente qualificados quanto os amadores e experimentais.

Design e Tipografia

A escolha ideal do tipo para o Design

Bom, sabemos que o trabalho profissional sempre requer muito estudo e bom senso. Quando chega a hora de lidar com a tipografia, todo designer se vê diante do dilema: que fonte escolher agora? E não é raro que essa etapa consuma bastante tempo e energia.

Nossos cursos indicados

Como dissemos, as características essenciais de cada tipo devem estar alinhadas ao conceito e imagens usadas nos projetos. Assim sendo, esse árduo (mas prazeroso) processo de escolha da melhor fonte pode ter início no entendimento de questões puramente técnicas relativas aos estilos que existem atualmente.

É o caso, por exemplo, da classificação de tipos em grupos, conhecidos como: serifados, sem serifa, cursivos, display (decorativas/desenhadas) e suas variações. A partir desse conhecimento, então, pode-se entender qual estilo se aplica melhor ao trabalho que está sendo desenvolvido.

Fontes para textos impressos e textos para a web possuem diferenças?

Na composição de textos, é importante considerar os dois grandes grupos de fontes disponíveis: as serifadas e as não-serifadas. Como o próprio nome diz, eles dizem respeito à existência, ou não das serifas — pequenos prolongamentos posicionados no final das hastes dos caracteres.
Isso pode até parecer uma constatação insignificante, uma vez que ninguém pensa nesse detalhe enquanto está lendo. Porém, a fonte certa para cada tipo de texto influencia muito na satisfação de quem está lendo.
A explicação para o uso de fontes serifadas em textos é o entendimento de que as serifas deslizam o olhar do leitor pelas páginas, proporcionando maior conforto visual. O exemplo mais usual desse tipo de fonte é a Times New Roman, muito utilizada em blocos de textos longos, principalmente livros impressos.

Na composição de textos, é importante considerar os dois grandes grupos de fontes disponíveis: as serifadas e as não-serifadas. Como o próprio nome diz, eles dizem respeito à existência, ou não das serifas — pequenos prolongamentos posicionados no final das hastes dos caracteres.

Isso pode até parecer uma constatação insignificante, uma vez que ninguém pensa nesse detalhe enquanto está lendo. Porém, a fonte certa para cada tipo de texto influencia muito na satisfação de quem está lendo.

A explicação para o uso de fontes serifadas em textos é o entendimento de que as serifas deslizam o olhar do leitor pelas páginas, proporcionando maior conforto visual. O exemplo mais usual desse tipo de fonte é a Times New Roman, muito utilizada em blocos de textos longos, principalmente livros impressos.

Já as fontes mais slim, retas e sem serifas, são as mais indicadas para uso na web (sites, landing pages, cards, etc), pois as serifas neste ambiente virtual e tendo em consideração que muitas vezes a mensagem será vista em telas de todas as dimensões, o designer precisa estar atento à estes detalhes para o bom entendimento da comunicação. No ambiente web, o conforto visual é muito importante.

Hoje, a tipografia em um projeto gráfico é de extrema importância, possibilitando infinitas possibilidades criativas para cada peça, seja impressa ou web.
Escolha a sua, abuse da criatividade e conheça os melhores tipos para seus trabalhos.

E você? Qual sua tipografia favorita?

Deixe sua opinião nos comentários!

Abraços 🙂

O MX Cursos já está na Black Friday.